quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Borboleta Assenta-pau

Assenta-pau - Hamadryas epinome
Familia: Nymphalidae
Subfamilia: Biblidinae



Essa borboleta é encontrada nas bordas das matas, pousa de cabeça para baixo nos troncos das árvores numa camuflagem perfeita, pois somente com o olho atento podemos detectá-la. Pode ser confundida com a hamadryas februa, muito semelhante pela, mas com diferenças nos padrões das asas. Uma delas foi encontrada num dia muito frio com as asas abertas no chão de uma trilha, levei-a para um sótão envidraçado pensando que estivesse nos seus dias finais, mas no terceiro dia ela ainda estava viva, soltei-a pela janela no meio do dia ensolarado, ela voou feliz, com certeza. 

Na mesma semana encontrei uma da mesma espécie morta com as asas fechadas no depósito da lavoura. Sua identificação se deu através do trabalho Guia de borboletas frugívoras das Florestas Ombrófilas Densa e Mista de Jessie Pereira dos Santos:


RITTER, C.D., LEMES, R., MORAIS, A.B.B. & DAMBROS, C.S.
Borboletas (Lepidoptera: Hesperioidea
e Papilionoidea) de fragmentos de Floresta Ombrófila Mista, Rio Grande do Sul, Brasil
. Biota Neotrop.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Borboleta Gema

Borboleta Gema
Phoebis philea philea
Essa borboleta é encontrada nas áreas abertas em dia de sol. Voa rapidamente, mas pousa para sugar néctar das flores que encontra. De cor amarela com pequenas marcas circulares e riscos em tons de marrom. Agentes de polinização, as borboletas tem um papel importante na reprodução das plantas. 








Conhecer a biodiversidade da flora e fauna deveria ser sempre prioridade, com  o intuito de preservação. O grupo dos insetos é muito rico e com certeza existem muitas espécies qua ainda não foram classificados e que podem desaparecer antes de serem conhecidas. Na nossa região há pouco estudo dos insetos principalmente da ordem lepidópteros. E isso é muito grave principalmente em períodos de grande desmatamento e descaso com o meio ambiente como estamos vivendo. atualmente. 

 Na UFRGS há o Laboratório de Ecologia de Insetos com mais de 7 mil exemplares classificados aberto para pesquisas e visitação.

Para saber mais:

Artigo Guia de Borboletas Frugívoras das Florestas Ombrófilas Densa e Mista do RS- Jessie Pereira dos Santos UFRGS 2010

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Jerivá



Jerivá
Nome científico: syagrus romanzoffiana
Família: Arecaceae 
 
Também conhecido como coqueiro ou coquinho, é uma palmeira nativa da Mata Atlântica, associada a vários ecossistemas, como o da floresta ombrófila mista, do nordeste do RS.

Essa palmeira pode atingir 15 m de altura, mas dentro da floresta pode ficar mais alta na disputa pelo sol.
Seu tronco é cinza, reto com copa formada por folhas compridas que conforme vão envelhecendo secam e caem.
Os frutos são alimento de vários animais, principalmente aves como papagaios e maritacas, que dispersam as sementes através das fezes.  Dentro do coquinho há uma amêndoa de agradável sabor.  Os coquinhos germinam facilmente, se a terra for boa ao redor do coqueiro, com o tempo forma-se muitas mudas pelo chão, devido ao grande potencial de germinação das sementes.
Na nossa região é encontrada dentro da mata, disputando com outras árvores e também nas clareiras, onde cresce com mais rapidez, atraindo muitas  aves.








Essa palmeira é resistente ao transplante, mesmo sendo adulta e é encontrada em várias partes do Brasil. Em Caxias do Sul, na serra gaúcha, muitas árvores adultas desta espécie foram transplantadas em vias públicas e na praça central, resistindo ao transplante.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Borboleta-do-maracujá

Nome científico: Agraulis vanillae
Família: Nymphalidae

Estamos no inverno, passamos por dias muito frios, com geada que  queimou muitas flores de plantas com as três-marias, orquídeas e íris, hoje com sol e calor uma borboletinha voou por tudo a procura de néctar, que encontrou com a resistente flor amarela do dente-de-leão.

 Essa borboleta também é conhecida como pingos-de-prata,  é a borboleta-do-maracujá, planta hospedeira da lagarta que se transforma nessa linda borboleta laranja.

 A face dorsal das asas é alaranjada com manchas pretas e no ventre  apresenta outro padrão de desenho,  laranja e marrom com manchas pretas e prateadas. O adulto pode viver até 8 meses.







quarta-feira, 26 de julho de 2017

Borboletinha-do-mato

Borboletinha-do-mato
Nome Científico: Phylloscartes ventralis
Ordem: Passeriformes
Família: Rhynchocyclidae

Essa ave é tão pequeninha, em torno de 12 cm, que não a distinguimos de longe, mas sim pelo seu canto. Alimenta-se de insetos. Seu ninho é bem diferenciado, tecido em forma de globo com pequena abertura.
Possui o ventre claro com dorso oliváceo, mas com marcas claras nas asas.








Arapaçu-grande

Arapaçu-grande
Nome científico : Dendrocolaptes platyrostris

Essa ave é encontrada dentro da mata, possui um canto que a caracteriza, diferente de outros arapaçus, seu comprimento é em torno de 25 cm. Chama a atenção quando pousa em um tronco, de forma que parece que agarra-o, sendo também conhecido por essas bandas de agarradeiro.
Possui dorso, asas e cauda em tons ferrugem, cabeça e ventre são rajados, com a garganta clara e um círculo amarelado ao redor do olho. Seu bico é preto e possui os pés pequenos em relação ao seu corpo grande.
O arapaçu-grande vasculha o tronco das árvores, subindo até o alto e depois desce até a base de outro tronco a procura de insetos.