sexta-feira, 9 de junho de 2017

Borboleta-asa-de-vidro

Nome comum:Borboleta-asa-de-vidro
Nome científico: Greta Oto
Família: Nynphalidae

Há muitas dessas borboletas na RPPN.
Essa borboleta com asas transparentes é encontrada na borda da mata e também dentro da mata. Com as asas fechadas não a percebemos, porém ao abri-las notamos a transparência com contornos nítidos.




No blog há mais postagens sobre ela:
http://rppnsantabarbara.blogspot.com.br/2016/03/lepidopteras.html

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Surucuá-variado


Nome comum: surucuá-variado
Nome científico: Trogon surrucura

Manhã de outono, 15 de maio,  chuvisqueiro, frio, um ronco na mata, olhando com cuidado, escondido entre as folhas se sobressai um vermelho vivo,  é o surucuá-variado. Na primavera e verão ouvimos seu canto, às vezes sozinho ou em duetos de acasalamento. No inverno é mais silencioso e somente por acaso conseguimos observá-lo.

Vermelho vivo entre as folhas das árvores

 Silencioso na mata






A cabeça é de um azul mais escuro, o dorso é esverdeado e a garganta apresentam um azul mais metálico. Os olhos possuem um anel circular laranja. As asas são acinzentadas. O ventre é vermelho vivo. Sua cauda é escura com barras brancas na parte inferior. Eles pousam e ficam um tempo parados permitindo a observação. Seus pés são curtos, mas conseguem se agarrar firmemente aos poleiros.
A fêmea tem cores mais discretas, apesar de seu ventre se vermelho também. Suas cores são mais acinzentadas

domingo, 7 de maio de 2017

Gralha-Azul

Nome científico: Cyanocorax caeruleus
Comprimento: 39 cm 
Essas belas aves azuladas da família dos corvos, Corvidae aparecem em abundância no período dos pinhões. Pousam em bandos no alto das araucárias chamando a atenção com suas vocalizações altas. 
Essa ave está associada às matas de araucária, como disseminadora,  pois enterram o pinhão para colheita posterior e muitas vezes não encontram as sementes enterradas, pois estas brotam formando novas árvores.
Essas aves são muito inteligentes,  formam bandos organizados hierarquicamente,





 Plumagem: azul no corpo e preto na cabeça, pescoço e peito. Não há dimorfismo sexual, porém a fêmea é menor.

Alimentação: São onívoras, frutos, pequenos vertebrados e invertebrados, ovos e filhotes de outras aves e principalmente o pinhão.
Reprodução: A partir de outubro ocorre o período da reprodução, quando elaboram ninhos no alto das árvores, como no topo das araucárias, onde a fêmea põe em torno de 4 ovos.

Essa ave é encontrada  nas florestas de araucária, no sul do Brasil, e também é encontrada na Mata Atlântica da Serra do Mar, em locais onde não há araucária. 

video

domingo, 9 de abril de 2017

Os bugios que ainda restam!

Domingo chuvoso de outono, dia 09 de abril de 2017. Um grupo de bugios aparece sobre os  galhos de pinheiros. 

Os pinheiros (Araucaria augustifolia), fazem parte da Floresta Ombrófila Mista do Bioma Mata Atlântica, considerado um dos mais raros e em perigo de extinção. Raro porque foi e está ainda sendo destruído a olhos vistos, levando junto toda a fauna e flora que dependem dele, o que vemos na cidade de Caxias do Sul, RS.

A campanha da Fraternidade deste ano nos alerta para a proteção dos biomas! Se houvesse consciência dos nossos governantes não haveríamos necessidade de campanhas com temas tão básicos e necessários!  Estamos vendo a área urbana invadindo a área rural e os pinheiros, que deveriam ser protegidos, acabam tombando sob o fio da serra elétrica, e isso não está sendo feito no escondido, mas com autorização dos órgãos responsáveis.
 

 "- Ei vocês homo sapiens, nos deixem viver em paz, parem de cortar as araucárias, precisamos delas para sobreviver, não queiram o planeta só pra vocês, sejam mais sabidos!"





Crédito das fotos Vera Medeiros 
Essa foto foi tirada no momento em que o bugio maior faz sinal com a mão para os pequenos o seguirem, pois começou a chover. 

sábado, 8 de abril de 2017

Cachinho-azul




Cachinho-azul, veludinho-rasteiro
Família Rubiaceae
Nome Científico : Coccocypselum lanceolatum (Ruiz & Pav.) Pers.


Essa planta é muito curiosa com seus frutos na cor azul intenso, parecendo muito saborosos. É uma planta rasteira encontrada na mata em meia sombra. Se adapta bem em solo ácido com bastante matéria orgânica das folhas em decomposição. Suas folhas são aveludadas, flores roxas e frutos azuis. 







Nos meses de março e abril espocam frutinhas ovalóides em cachos, as frutinhas tem formato de  pequenas peras.
As flores são pequenas e reunidas em cachos. 
Segundo os sites abaixo, ela é comestível, muito deliciosa para fazer sucos.



http://www.fzb.rs.gov.br/upload/20160607121021rsbiodiversidade_livro_ornamentais.pdf
http://www.colecionandofrutas.org/coccocypselumlanceolatum.htm

segunda-feira, 20 de março de 2017

Lanceta



Lanceta
Nome científico: Solidago chilensis
Família: Asteraceae

Planta nativa, encontrada em vários biomas. Essa planta anual é melífera, conhecida como lanceta ou arnica-brasileira,  é um subarbusto considerado erva-daninha ou invasora. O caule é verde com folhas alternas, no topo do caule eclodem flores amarelas, principalmente nos meses de março e abril.


 Borboleta Anteas Actinote desfrutando do pólen das flores melíferas da lanceta




Propriedades medicinais:

 O nome arnica-brasileira, como também é conhecida, deve-se a semelhança das propriedades desta planta com a arnica europeia. Na medicina popular é usada no tratamento de contusões,  dores musculares, picadas de inseto, infecções e feridas através da maceração da planta em aguardente.  Está dentro da lista de uso recomendado pelo SUS contra contusões.

Olho-de-pavão-diurno




Olho-de-pavão-diurno
Junonia Evarete
Família Nymphalidae



Essa borboleta é muito especial, colorida e graciosa, quando em voo, não imaginamos sua beleza, mas quando está em pouso nos encantamos com tanta graciosidade. Observem os ocelos nas asas anteriores, parecendo olhos a mostra enfrentando os predadores. 

Esta foi fotografada próxima a lavoura, na parte em que há mato com floração. Ela voa baixo e fica parada com as asas abertas, facilitando melhor a observação, pois ela é pequena, tem 6 cm de uma asa a outra. Observem o azul nas asas posteriores com ocelos menores e os dois grandes ocelos nas asas anteriores, parecendo olhos.
 







Família Nymphalidae:

A família Nymphalidae é considerada a maior família de borboletas, possui cerca de seis mil espécies já descritas. Elas apresentam uma grande diversidade de cores e desenhos nas asas. Uma característica que as identificam é o par de pernas anteriores atrofiados, o que a primeira vista parece não existir, dando a impressão que possuem somente dois pares.